31/01/2013 09h03 | Atualizado em 21/12/2014 03h07

Filha encontra vídeo no celular do pai fazendo sexo com a irmã

"Ele se dizia 'louco' pela garota. Pagava academia para ela e comprava anticoncepcional porque não usava camisinha", afirmou o delegado

Terra
redacao@94fmdourados.com.br

Um motorista de microônibus de 51 anos foi preso suspeito de estuprar a filha de 16 anos no bairro Alfredo Nascimento, zona norte de Manaus. A denúncia partiu da mãe da adolescente após uma outra filha, de oito anos, encontrar, há quase dois meses, um vídeo do sexo gravado no celular dele em novembro de 2012. A mãe não explicou o motivo de não ter denunciado imediatamente.

De acordo com o delegado titular em exercício da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), Rafael Allemand, a Polícia Civil (PC) investiga se a mãe deixou de denunciar por conivência ou medo das ameaças do marido. Em depoimento, o pai confessou o crime e disse ser “apaixonado” pela garota. "Ele disse que via a garota como uma mulher e não como uma filha. Segundo ele, as relações começaram quando ela tinha 14 anos", revelou Allemand.

Além das imagens gravadas pelo suspeito, vítima contou que na manhã de segunda-feira (28) o pai a obrigou a manter relações com ele. A denúncia não aconteceu antes porque a moça tinha medo das ameaças e contou que as relações aconteciam sempre que a mãe e as irmãs saíam, conforme informações fornecidas pelo delegado.

Em 2006, porém, o suspeito foi condenado a sete anos de prisão, em regime semiaberto, após a mesma mãe o denunciar por ter fotos pornográficas da filha também no telefone celular, na época ela estava com 10 anos e o crime era considerado atentado violento ao pudor.

O delegado disse ainda que pediu para que as outras duas filhas do casal fossem examinadas para constatar se elas também foram abusadas. O suspeito nega ter mantido relações com as outras garotas de oito e dez anos e disse “ter problemas” apenas pela filha de 16 anos.

"Ele se dizia 'louco' pela garota. Pagava academia para ela e comprava anticoncepcional porque não usava camisinha", afirmou Allemand. Na delegacia, a vítima disse ainda que o suspeito a proíbia de sair, namorar e fazer qualquer outra coisa que envolvesse outras pessoas.

O motorista foi autuado em flagrante por estupro e encaminhado à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro. Caso as investigações apontem a mãe como conivente, a mesma deverá ser considerada co-autora do estupro.

Os nomes do suspeito, da adolescente e da mãe não foram divulgados em respeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente.