MPF apura suspeita de contaminação de córrego em aldeia indígena de Paranhos (veja o vídeo)

Principal fonte de água da comunidade, teria sido coberto por uma grande quantidade de espuma branca no dia 14 de novembro

  • G1-MS

A suspeita de contaminação do córrego Y’Poi por produtos químicos em Paranhos, a 477 km de Campo Grande, pode ser investigada pela Polícia Federal. O pedido de instauração de inquérito foi feito na terça-feira (20) pelo Ministério Público Federal (MPF), depois que a procuradoria recebeu informações da Fundação Nacional do Índio (Funai) repassadas por indígenas da comunidade Y’Poi.

De acordo com os indígenas, o leito do córrego, que é a principal fonte de água da comunidade, teria sido coberto por uma grande quantidade de espuma branca no dia 14 de novembro. O Ministério Público Federal recebeu para análise amostras da água do córrego e um vídeo publicado na internet, mostrando a espuma que teria sido formada por produtos químicos. O vídeo encontra-se disponível também na página do MPF-MS.

A assessoria da Polícia Federal informou ao G1 que até agora não foi notificada pelo MPF sobre o caso. O representante do Conselho Continental da Nação do Povo Guarani e membro da Associação dos Povos Indígenas do Brasil (PIBID), Ricardo Antoniel Guarani, conformou a suspeita da contaminação, mas negou que haja conflitos armados na região onde fica a comunidade.

Se a contaminação da água for confirmada e os autores identificados, eles poderão ser condenados a penas de até 15 anos de prisão.

Outros casos

Semanas atrás, o site 94fm Dourados noticiou a ameaça de suicídio coletivo de índigenas Kaiowá no município de Naviraí. Já em Dourados, gerou polêmica uma reintegração de posse de índigenas da aldeia Kaiowá de Nhu Verá, os índios ameaçaram lutar até morte para não abandonar a área.

Veja o vídeo: