Dourados soma 107 casos confirmados de dengue e chikungunya em 2018

Até agora, não teve nenhuma notificação do vírus da zika na cidade.

São 84 casos confirmados de chikungunya  e 23 da dengue em Dourados em 2018 - Foto: Pixabay
São 84 casos confirmados de chikungunya e 23 da dengue em Dourados em 2018 - Foto: Pixabay

Dados divulgados pelo Departamento de Vigilância em Saúde mostram que Dourados registrou 122 casos suspeitos de dengue em 2018, resultando em 23 confirmações da doença. 

Em relação à chikungunya, no mesmo período, de janeiro até esta quarta-feira (26), a cidade teve 138 notificações, com 84 casos confirmados. Somados, chikungunya e dengue resultam em 107 casos confirmados, apenas neste ano.

Até agora, não teve nenhuma notificação do vírus da zika na cidade. As informações foram passadas à reportagem da 94FM pelo coordenador da Vigilância, Devanildo de Souza.

2017

Durante todo o ano de 2017, Dourados registrou 171 notificações da dengue, resultando em 21 casos confirmados da doença. Zika teve 26 situações suspeitas, com um caso positivo, e a chikungunya teve 34 notificações, com dois casos positivos.

Multas

Se for encontrado foco em algum local, o proprietário será multado, seja em residências, terrenos baldios ou em comércios.

Para evitar as doenças

Para evitar a dengue, zika e chikungunya é preciso ter cuidado com a higiene, mantendo os quintais limpos, piscinas tratadas, limpeza das calhas, limpeza nos bebedouros de animais ou qualquer outro objeto que possa acumular água.

Medidas de prevenção para grávidas em MS

Foi sancionada no dia 23 de julho de 2018 a lei que determina medidas de prevenção à dengue, chikungunya e zika às gestantes. A norma foi publicada no Diário Oficial do Estado.

De acordo com a lei, ficam estabelecidas medidas de prevenção à transmissão de dengue, chikungunya e zika vírus às gestantes no âmbito do Estado de Mato Grosso do Sul. O objetivo, segundo a publicação, é reduzir a contaminação pelo vírus, diminuindo a incidência de patologias, em especial a microcefalia.

Para isso, estabelecimentos públicos e particulares de assistência à saúde ficam obrigados a incluir nos programas de pré-natais esclarecimentos às gestantes sobre os riscos, profilaxia e demais informações sobre o mosquito transmissor, aedes aegypti, e as doenças dengue, chikungunya e zika vírus. (Para saber mais sobre a lei, clique aqui)


Comentários
Os comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei ou que não contenha identificação não serão publicados.