Em município sem dinheiro para pagar servidores, Câmara planeja nova sede

Poder Legislativo tem orçamento superior a R$ 30 milhões para custear as despesas em 2021 e desde 2017 já devolveu quase o mesmo valor para prefeitura

Presidente eleito para biênio 2021-2022 diz planejar construção de nova sede para o Legislativo(Foto: Thiago Morais/Divulgação/Câmara)
Presidente eleito para biênio 2021-2022 diz planejar construção de nova sede para o Legislativo(Foto: Thiago Morais/Divulgação/Câmara)

Dourados inicia 2021 com o Poder Público municipal em diferentes sintonias. Enquanto o prefeito Alan Guedes (PP), chefe do Executivo, assumiu a prefeitura sem dinheiro em caixa e ainda não conseguiu sequer para pagar os salários de dezembro passado dos servidores, o chefe do Legislativo, vereador Laudir Munaretto (MDB), aponta como um dos principais projetos construir nova sede para Câmara.

Leia também:
-Prefeito acusa irresponsabilidade na fala de ex-secretário sobre dinheiro em caixa

O emedebista foi eleito presidente da Casa de Leis para o biênio que encerra em 2022 e já declarou publicamente ser um sonho dele, da mesa diretora e de todos os demais parlamentares a edificação de outro prédio para o Palácio Jaguaribe. Somente neste ano, ele terá um orçamento superior a R$ 30 milhões.

“São ações estruturantes que estão sendo pensadas pela Câmara, e com a participação de todos os vereadores, para aproximar a população do Legislativo. A participação popular é de fundamental importância para que possamos cumprir o papel de fiscalização ao Executivo e elaborar os projetos que venham de encontro aos anseios da sociedade”, declarou, Munaretto.

Nessa mesma divulgação do Legislativo, é assinalado que “entre as principais projetos que estão sendo planejados pela Mesa-Diretora da Câmara está a construção de uma nova sede para o Poder Legislativo, a criação de um aplicativo para facilitar e agilizar o acesso da população aos serviços da Câmara e a implantação da TV e Rádio Câmara de Dourados”.

Não foram divulgados mais detalhes sobre esse projeto da nova presidência da Câmara, como eventuais valores orçados.

O Poder Legislativo é mantido com o duodécimo, repassado pelo Poder Executivo, arrecadador de impostos através da prefeitura. Em 2020, o orçamento aprovado para Câmara custear suas despesas foi de R$ 28.919.200,00 e em 2021 a cifra saltou para R$ 30.207.424,00.

Contudo, tem sido habitual ao longo dos anos que a Casa de Leis devolva à prefeitura parte não utilizada desses recursos. Somente nos quatro anos recentes foram quase R$ 30 milhões, usados sobretudo para pagamento dos salários do funcionalismo público municipal.

Na semana passada, quando anunciou que não seria possível quitar esses vencimentos no quinto dia útil de janeiro, o prefeito de Dourados detalhou ter herdado os caixas municipais com pouco mais de R$ 8 milhões, valor próximo ao devolvido pela Câmara no final de 2020. No entanto, a folha totaliza R$ 31 milhões.

Comentários
Os comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei ou que não contenha identificação não serão publicados.
  • ANDREA

    ANDREA

    Caro Fabiano, primeiro você precisa entender o que são prioridades. Segundo que a situação atual de Dourados é lastimável e insalubre, pois não possui uma rua decente para transitar, mato para onde se olha, população sem ter uma casa para morar, muito menos com ventilação adequada, aldeias indígenas jogadas a própria sorte com desvio de toda verba, violência e roubos sem nenhuma punição, enfim, é impossível relatar todos os problemas. No mais quando cheguei nessa cidade, há 15 anos, deparei com ruas bem cuidadas, com rotatórias que faziam o transito fluir e canteiros floridos. O mínimo que se pode esperar da câmara é que ofereça condições dignas de vivência, que defenda os interesses do povo, que diminua a burocracia, resumindo, que honre o voto de todos e isso pode ser feito ate dentro de um barracão.

  • Fernando Bernardi

    Fernando Bernardi

    Caro Fabiano, vá a merda, vereador tem que ficar na rua fiscalizando o serviços e obras, que são de péssima qualidade e toda cidade, cambada de vagabundos que ganham sem produzir.

  • Alexandre

    Alexandre

    LASTIMÁVEL!!! Com tanto coisa por fazer, já pensam logo na construção de uma nova Casa, se querem se aproximar da população, andem nas ruas, nos bairros, Distritos.... aí verão o que realmente é PRIORIDADE para o POVO!! VERGOLHOSO...

  • Fabiano

    Fabiano

    Primeiro precisamos entender que são poderes diferentes. Segundo que o atual prédio da câmara encontra-se em situação lastimável, com várias infiltrações, reboco caindo e rede elétrica comprometida, sem falar que a maioria dos gabinetes apresentam situação de insalubridade, pois não possuem ventilação adequada. No mais esse prédio foi da época em que Ddos tinha 12 vereadores e hj temos 19. Convido a quem interessar a conhecer a casa de leis antes de expressar opiniões contrárias, pois entendo que o mínimo que se pode esperar da câmara é que ofereça condições dignas a quem lá trabalha e para quem procura aquela casa que é do povo...

  • Andre

    Andre

    Isso é bem a cara dos politicos preocupado com conforto, na crise que estamos Passando será que não dá pra pensar em algo melhor para todos.