Moradores sofrem com a escuridão em bairro de Dourados

Na mesma quadra desse bairro, é possível ver quatro postes sem luz, deixando os moradores na escuridão.

Bairro Ypê Roxo, na Rua Antônio Mendes da Silva na escuridão por falta de iluminação pública (Foto: divulgação/94FM)
Bairro Ypê Roxo, na Rua Antônio Mendes da Silva na escuridão por falta de iluminação pública (Foto: divulgação/94FM)

Mesmo a Prefeitura de Dourados arrecadando em torno de 1,4 milhão por mês com a Contribuição para o Custeio da Iluminação Pública (Cosip), a população continua sofrendo com a escuridão nos bairros da cidade. Desde o dia 1° de janeiro até esta quinta-feira (12), a administração municipal arrecadou com a taxa de iluminação R$ 8,167 milhões.

Um dos bairros que está sofrendo com a falta de iluminação é o Ypê Roxo, na Rua Antônio Mendes da Silva. Uma foto registrada por um ouvinte na madrugada de hoje (12) mostra a escuridão na localidade. Na mesma quadra, é possível ver quatro postes sem luz. O ouvinte da 94FM que enviou a imagem explicou que já solicitou à Semsur (Secretaria Municipal de Serviços Urbanos) quatro vezes para resolver o problema e, há mais de um mês, sempre recebe a mesma resposta, de que está sem material, que não tem lâmpadas e que os responsáveis vão realizar a troca, mas isso nunca acontece.

Esse é um problema que acontece com frequência em Dourados. Enquanto algumas regiões da cidade sofrem com a falta de iluminação à noite, em outros pontos os postes ficam com a luz ligada durante todo o dia, o que gera gastos à população. Como é o caso da um poste localizado na Rua Oliveira Marques, no Centro. Há aproximadamente oito meses, um poste fica com a luz ligada 24 horas por dia. Ao chegar na Rua Quintino Bocaiuva, a poucos metros do local, ocorre a mesma situação.

Dois ou três exemplos?

A prefeitura chegou a dizer, há dois meses, que são poucas as reclamações sobre iluminação na cidade, comentando que não é justo pegar dois ou três exemplos de falhas neste setor para fazer críticas. Mas não é isso que os moradores acham, já que todo dia tem diversas reclamação sobre esse assunto. Essa resposta da prefeitura foi divulgada um dia depois que o vereador Marçal Filho (PSDB) usou a tribuna da Câmara Municipal para lançar a campanha “Ilumina Dourados”, já que o número de reclamações sobre a escuridão no município é grande. 

Na mesma nota, a prefeitura citou um relatório do departamento de iluminação pública da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) para justificar que em quatro meses foram trocadas 1.930 lâmpadas na cidade, porém com o valor arrecadado, daria para trocar 23 mil lâmpadas por mês, conforme informação divulgada pelo vereador Marçal que fez uma pesquisa em uma empresa de autoelétrica o preço de uma lâmpada comum, de poste, aquelas utilizadas nos bairros. “Custa R$ 29,90, cada. Com R$ 1,3 milhão por mês é possível comprar 23 mil lâmpadas”, disse Marçal. 

Disk lâmpada

Outro problema é a dificuldade em falar com o setor responsável pelo "Disk lâmpada", já que esse processo não tem sido eficiente, devido à demora da realização do serviço ou até mesmo, a lentidão no atendimento por telefone. 



Comentários
Os comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei ou que não contenha identificação não serão publicados.
  • romualdo

    romualdo

    se estão com a conta da energisa em dias a iluminação tambem esta paga, é só reclamar do direito

  • breuzão

    breuzão

    aki no altos do indaiá,, to ligando desde janeiro e a resposta são exatamente as mesmas desta matéria,, até parece que as atendentes engoliram um gravador ,,, kkkk

  • Vagner

    Vagner

    Porque não fazermos um manifesto escrito, e solicitar a suspensão do pagamento da Iluminação Público, devido aos maus serviços prestados. Se é direito e Lei para todas as empresas prestadoras de serviços, porque não com este setor.